Não somos todos iguais

Não somos todos farinha do mesmo saco. E ainda bem. Se gostássemos todos do mesmo, o que era feito do amarelo?

Na Caixa Económica Montepio Geral promovemos a autenticidade e aquilo que nos torna únicos. Não acreditamos em generalizações nem em tratar os clientes de forma padronizada. Somos um banco sem ‘clientes-tipo’, mas com diferentes tipos de clientes.

     

    As histórias que se seguem são baseadas em testemunhos reais, e representam estas e outras pessoas que, da mesma forma como vemos no filme, não seguem os padrões da maioria. Afinal, ”Não vivemos todos em Lisboa (…) não temos todos carro e nem todos sonhamos ter. Não somos todos doutores (…), nem gostamos todos de futebol.”

    Nem todos tomamos as mesmas opções de vida, mas todos procuramos o mesmo: sentirmo-nos felizes e realizados com as nossas escolhas.

    Inspire-se com estas histórias:
    Não vivemos todos em Lisboa
    Não vivemos todos em Lisboa
    Já pensou em mudar de vida mas, por muitos motivos, nunca concretizou a ideia?
    Inspire-se na história do Manuel, que saiu de Lisboa e mudou-se com a mulher e os três filhos para uma aldeia do distrito de Castelo Branco. Mudou de vida, de profissão e até já vende os seus produtos além-fronteiras.



    Não somos todos doutores
    Não somos todos doutores
    Deixar os estudos foi uma decisão difícil e não foi o único choque que deu a algumas das pessoas mais próximas da sua vida. António decidiu também seguir a carreira de Gamer! Conseguir transformar numa verdadeira profissão, uma atividade que muitos encaram como “uma brincadeira”, não foi um desafio fácil.



    Não temos todos carro
    Não temos todos carro
    Ser adulto, trabalhar e ter uma vida independente parece ser sinónimo de ter carro. Afinal, como se consegue gerir uma vida sem estar a depender de boleias ou, em alternativa, perder horas nos transportes e gastar valores elevados em táxis ou outros veículos privados semelhantes? A Teresa responde com uma história diferente.



    Não gostamos todos de futebol
    Não gostamos todos de futebol
    Ver uma criança com uma bola nos pés é sinónimo de entusiasmo para muitas famílias. Mas quando se tem uma criança que anda sempre de cabeça para baixo e a fazer piruetas?
    Se for como Ana, pode ser um talento da ginástica acrobática com muitos sucessos e metas superadas.


    E a si? O que o torna diferente?

    Os tempos mudaram e os portugueses mudaram com eles. Esbateram-se as noções de carreira para a vida, de família tradicional, de posse e património e hoje temos diferentes tipos de clientes, com diferentes motivações, objetivos e opções de vida. Queremos dar voz a essa diferença. Ajude-nos respondendo a uma simples pergunta.

     

     

    Caixa Económica Montepio Geral. Só um banco diferente nos leva mais longe.

     

    ImprimirTamanho da letraA-A+